Início Notícias Professora agredida por mãe no recreio da escola na Póvoa do Varzim

Professora agredida por mãe no recreio da escola na Póvoa do Varzim

8165
3

Uma docente da escola da Pedreira, na freguesia de Argivai, Póvoa de Varzim, foi agredida por uma mãe, na tarde de sexta-feira.

O ataque de violência ocorreu durante o momento da hora do recreio dos alunos, por volta das 15h30, e na presença dos alunos, professores e auxiliares, quando uma mãe esperou a saída da professora e já fora das instalações do estabelecimento de ensino agrediu a docente.

A professora teve que ser assistida no Hospital da Póvoa de Varzim.

A agressão já foi condenada pela Associação de Pais da Escola EB1/JI de Argivai, que está a promover uma concentração de solidariedade para com a professora ao convocar “todos os Pais e Familiares para um cordão humano contra a violência, na próxima segunda feira às 17h na Escola”.

A associação de pais pretende com o gesto “dar as mãos aos nossos Professores, Assistentes Operacionais, Alunos, Diretores de Agrupamento, Responsáveis locais e autárquicos”, numa voz “Contra a Violência”.

Arlindo Ferreira, diretor do agrupamento de escolas Cego do Maio, do qual a escola de Argivai faz parte, já repudiou a situação, e escreveu no seu blog de Arlindo que “são inúmeras as agressões a docentes por parte de alunos e encarregados de educação, mas muitas delas ficam em segredo sem que venham parar à comunicação social, uma vezes por vergonha do agredido, outras porque se quer manter segredo destes casos”.

O professor pede que “ninguém se deve esconder”, que para “que isto tenha um fim é necessário atuar de imediato e exigir penas agravadas a quem comete estes atos”, e que “nunca estive longe de imaginar que na minha escola isto um dia poderia acontecer, como aconteceu. É como o Covid-19 que ainda cá não chegou, mas sabemos todos que mais dia menos dia chegará”.

Fonte: Mais Semanário

3 COMENTÁRIOS

  1. Os meos comentarios? Com esta sençura, boçês num vom lonje, nom. Ao menos, mecham no tituto que num é DO VARZIM, mas DE varzim, uBRIGDA.

  2. O ataque de violência!!! Mas foi a violência, em carne e osso, que atacou? Ou foi atacada pelo ataque… que era da violência? Ah! Violência, minha estúpida, se te apanhar mato-te. Sem violência, serto! Tudo nos calma, profes! Só pode cer cousa do ConaVirus!

Comments are closed.