Início Educação NOTA AO PRIMEIRO MINISTRO – Luís Braga

NOTA AO PRIMEIRO MINISTRO – Luís Braga

137
0
Está aos papéis….? Sem saber o que fazer?
O seu ministro está a dar-lhe problemas? Dita-lhe medidas para anunciar, que não resolvem nada e que não são NADA?
Faz os anúncios e, logo a seguir, vimos dizer: “isso não é nada”?
O ministro mostra que não sabe o que fazer e que não o ajuda a arranjar soluções?
Já ninguém está disponível para ligar às birras dele.
Em vez de agir, só faz jogos de palavras? Durante 7 anos, disfarçou bem, não é…. ?!
Mas acabou a sorte. Não se engana toda a gente todo o tempo.
Palavras bonitas: “inclusão”, “recuperação de aprendizagens”, “flexibilidade”, “perfil dos alunos”, “monitorizações” e outras balelas diversas. Que podiam ser sérias, se houvesse real ação e não mero marketing e ouvissem os professores, em vez de impor disparates, por recurso a burocratas lisboetas, que não sabem o que é uma sala de aula. Alguns, nunca souberam.
Aliás, o ministro também não sabe.
Numa profissão de conhecimento não precisamos de alguém que não sabe. Precisamos de gente que saiba, não um “superboy”.
O seu Ministro levou, no sábado, uma mensagem clara de 100 mil pessoas. Todos os dias as escolas fecham pelo menos parte do dia.
A mensagem também é para V. Exa.
Depois da triste cena de sexta feira, embatucou e calou-se.
Demita-o, assuma a pasta por 15 dias e, depois, perca dois dias a fazer reuniões: 1 dia com 50 diretores de escola escolhidos aleatoriamente e, no outro, com dois grupos de 100 professores tirados à sorte (para não dizer que somos todos “comunas”, “cheganos” ou “antipê-esse”).
Esses grupos íam preparados com a missão de lhe dizer o que fazer, face ao que se passa. Nós sabemos.
Siga o exemplo de Al Gore, quando era vice-presidente (peça a um boy ou girl adjunto/a para ir à net ver do que falo, demora a explicar).
Serão dias bem ganhos. Talvez saia a “Reforma António Costa da Educação” que lhe dê um lugar na História (bem precisa, ou fica nela lembrado por ter um dos governos mais corruptos de sempre).
Reuna o senhor com os sindicatos.
O ministro (testemunhado por centenas de pessoas) vai para as reuniões com diretores e trata-os mal, ao nível da humilhação, em especial, quem não concorde com ele.
Já fazia isso quando era secretário de estado (eu sei, porque o fez comigo….numa reunião sobre cidadania).
Faz conferências de imprensa sem conteúdo e que visam a intenção manhosa de assustar grevistas com papões “pseudo-juridicos” e virar os pais contra ele.
Houve uns milhares na manifestação que foram por conta dessa indigestão à hora do jantar.
Senhor Primeiro Ministro, ponha mão nesta desorganização, que já dura há 7 anos (dura há mais mas com este já vão 7 anos).
Ouça Luís Delgado, Miguel Pinheiro, Marques Mendes e tantos outros que já o perceberam nos últimos dias. Perceberam quando começaram a ouvir o que dizemos e que o Ministério tenta afogar em papelada e marketing anti-profs….
O seu maior problema é o que se passa nas escolas e não se vai resolver com marketing bacoco, mas com política séria.
E a falar connosco. Não a insultar.
Aja. Fica a ideia.