Início Educação HELP

HELP

297
0

Preciso de ajuda 

 

Em 1978, levei com uma pedra  na cabeça, o meu pai levou-me ao Hospital e à polícia apresentar queixa por agressão, eu tinha 8 anos.  

 

Eu, Elisa Manero, também sou mãe. 

 

Tenho a lembrança do meu filho ter sido despido no recreio aos 7 anos, por vários colegas.

Tentei conversar com a Coordenadora do estabelecimento, desvalorizaram a questão. Tive de ir à polícia com ele. Nesse dia ensinei ao filho que a ordem deve ser o mais importante na sociedade, não é com luta, é pela Lei.

Em 2016, voltamos à polícia, o meu filho foi roubado na Escola, por alunos da idade dele 10 anos.

Se a escola estivesse bem orientada não era necessário.  

A minha filha aos 8 anos sofreu uma agressão da parte de um familiar, mas como era menor, resolvi que nunca mais a minha filha iria contactar com esse familiar.

A minha filha foi insultada na Escola aos 11 anos, ficou muito ofendida, só ao fim de 3 semanas existiu um pedido de desculpa por parte do agressor, porque eu sugeri que iria nos termos da lei resolver o assunto.

 

A minha função de professora é garantir que o seu filho, o meu aluno esteja em segurança, a minha função é garantir que o seu filho , o meu aluno aprenda. 

Não posso fazer a minha função, quando um aluno tenta boicotar a aula, insultar e desrespeitar o meu trabalho. 

Eu fiz greve, não fiz todos os dias.

Eu estive em silêncio na porta da minha escola com um cartaz a dizer RESPEITO.

 

Quantas vezes o seu filho não consegue dormir?

 

Quantas vezes diz que não tem amigos e é posto de lado pelos outros jovens?

 

Talvez porque não esteja em segurança.

 

Cara pai e mãe, imagino que seja agradável o seu filho ter uma negativa no teste , os meus filhos já obtiveram testes negativos. Não coloquei de castigo o meu filho, nem não fui culpar nenhum professor. Disse que era  a vida dele. 

Posso afirmar que nunca mais o meu filho obteve uma negativa, tem notas entre 14 e 17 valores.

A minha filha recebeu uma negativa no teste de  matemática. Posteriormente,  já a vi a estudar matemática.

Todas as dificuldades na escola, são as pedras do nosso caminho.

Com as pedras podemos construir um castelo.  

O meu castelo é enorme, porque já ultrapassei e levantei muitas pedras do meu caminho, como estudante, como professora, como mãe e como cidadã.

Concluindo caro encarregado de Educação, estou a lutar pelos meus filhos e pelos seus filhos e preciso de ajuda, para que os nossos filhos estejam seguros e felizes na Escola.

 

Elisa Manero