Início Educação “Ao termos as bolhas e os circuitos e sabermos quem convive com...

“Ao termos as bolhas e os circuitos e sabermos quem convive com quem é muito mais fácil detetarmos e isolarmos profilaticamente”

3780
2

Este senhor continua a mostrar um enorme desconhecimento do que se passa na realidade. Esta afirmação é um bom exemplo da sua inépcia! Fica a notícia.


Tiago Brandão Rodrigues: “Se olharmos para o sistema de ensino como se fosse uma região, o número de casos positivos nas escolas é o mais baixo do País”

“Não temos a escola sonhada nem a escola ideal, mas temos a escola possível”, afirmou o Ministro da Educação no programa Irrevogável da VISÃO. A colocação e substituição de professores “está bem oleada”, e as falhas no arranque do ano numa escola específica devem-se a “negligência” da direção. Rever curriculo da disciplina de cidadania não é opção.

Odireito a brincar, reconhecido na Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança, deve continuar a ser um direito nas escolas portuguesas. Quem o assegura é Tiago Brandão Rodrigues, Ministro da Educação: “As crianças têm de continuar a brincar e têm de ter os instrumentos para continuar a  brincar tanto no primeiro, segundo e até terceiro ciclos” para “ludicamente aprenderem”. Sobre crianças que ficam fechadas toda a manhã ou tarde sem poderem sair das salas de aula e ir ao recreio, o Ministro responde com a apologia das “soluções criativas” que muitas escolas conseguiram encontrar adaptando os recreios para permitir o convívio. “Temos de encontrar estratégias para que o isolamento social não exista”, afirmou o Ministro da Educação no programa da VISÃO de entrevistas aos principais protagonistas políticos.

“Infraestruturalmente as escolas não foram pensadas para um momento Covid”, sublinhou. “O ensino tem de continuar a acontecer com os condicionalismo que temos. Não temos a escola sonhada, nem a escola ideal, mas a escola possível.”

 Não temos a escola sonhada, nem a escola ideal, mas a escola possível

“Não me quero impor ao papel das direções das escolas. Não podemos dizer na segunda, quartas e sexta que as escolas têm autonomia e responsabilidade, e nas, terças, quintas e sábados dizer que a autonomia é só algo que está nos normativos legais e o Ministro da Educação tem de dizer o que fazer. Nunca a autonomia foi tão importante como num momento como este. As escolas têm feito um trabalho muito meritório”, disse o Ministro.

Leia mais em Visão

2 COMENTÁRIOS

  1. O mais grave é que este Sr. Não tem qualquer desconhecimento do que se passa na realidade!!! Em julho o ME controlava diariamente toda a situação nas escolas: qtos eram os alunos presentes, quantos almoçaram….E agora continua a controlar. Portanto, tem perfeito conhecimento da realidade das escolas! Portanto, só há uma explicação possível para este discurso: mente deliberada e descaradamente!!!!

Comments are closed.