Início Notícias Aluno da UMinho infetado com Covid-19. Aulas suspensas e serviços encerrados em...

Aluno da UMinho infetado com Covid-19. Aulas suspensas e serviços encerrados em Braga

1240
0

Vimos ontem, na palavra da Ministra da Saúde e da Diretora da DGS, que o encerrar escolas e instituições, quando existem  infetados com covid-19, é o procedimento correto! Claro cada caso é um caso mas nas universidades e nas escolas as interações entre todos são aos milhares e incontroláveis pelo que o mal deve ser cortado pela raíz


O jovem, de 19 anos e aluno do curso de História da UMinho, é de Felgueiras e terá infetado também a namorada, que estuda no ICBAS, no Porto, segundo o Jornal de Notícias.

Em despacho publicado no seu site oficial, a reitoria da UMinho aponta a contribuição ativa para “prevenção e controlo” do coronavírus, dando conta de várias restrições, como é o caso da suspensão de aulas, encerramento das cantinas e das bibliotecas e suspensão de todos os eventos.

A Universidade do Minho decidiu encerrar o Instituto de Ciências Sociais, as bibliotecas e unidades alimentares, no Campus de Gualtar, refere o despacho do reitor.

A universidade suspendeu também todas as atividades, incluindo as pedagógicas, no Campus de Gualtar, assim como as deslocações em serviço.

A instituição pede que os professores, investigadores, trabalhadores técnicos e estudantes regressados de países com casos confirmados de Covid-19 fiquem em quarentena voluntária, durante 14 dias, após a sua chegada.

O despacho recomenda ainda que a utilização das instalações no Campus de Gualtar seja reduzida ao mínimo.

Existiam, no sábado, 21 casos de infeção com o novo coronavírus em Portugal, mais oito do que os contabilizados na sexta-feira, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

A região Norte é a que regista mais casos confirmados de infeção, com 15, seguindo-se a Grande Lisboa, com cinco, e um no Centro do país.

As 21 pessoas com infeção pelo Covid-19 confirmada estão hospitalizadas, de acordo com a DGS.

Destes 21 doentes, cinco resultam de importação do vírus, dos quais quatro em Itália e um em Espanha.

De acordo com o boletim sobre a situação epidemiológica em Portugal, há 43 novos casos suspeitos, num total de 224 registados desde o início do ano, estando 47 a aguardar resultado laboratorial.

Despacho na íntegra:

Considerando a necessidade de a Universidade assumir uma posição que contribua ativamente para a prevenção e o controlo da COVID-19;

Considerando as recomendações da Comissão de Elaboração e Gestão do Plano de Contingência Interno COVID-19;

Determina-se:

Não são autorizadas, a partir de hoje, deslocações em serviço;​

São suspensas as deslocações em serviço que tenham sido previamente autorizadas;​​

É encerrado o edifício do Instituto de Ciências Sociais (Edifício 15 do campus de Gualtar);​

São suspensas as atividades pedagógicas no campus de Gualtar;​

São encerrados os serviços de bibliotecas e as unidades alimentares no campus de Gualtar;​

São suspensos os eventos e atividades desportivas no campus de Gualtar;​​

É suspensa a realização de conferências, seminários, cerimónias e eventos de natureza similar no campus de Gualtar;​

Professores, investigadores, trabalhadores técnicos, administrativos e de gestão e estudantes oriundos de países com casos confirmados de Covid-19 devem voluntariamente submeter-se a um período de quarentena, de 14 dias, após a sua chegada ao país;​

O modo de funcionamento das unidades de serviços da Universidade, dos Serviços de Ação Social e dos serviços das unidades orgânicas, com atividade no campus de Gualtar, será fixado até ao final do dia 8 de março, sendo o mesmo posteriormente comunicado aos respetivos trabalhadores;

Até que se encontrem disponíveis soluções de desinfeção para colocação ao lado dos terminais de leitura biométrica para controlo de assiduidade, está suspensa a utilização destes equipamentos. O controlo e validação de assiduidade no período em que estiver suspensa a utilização dos referidos terminais será feita pelo respetivo superior hierárquico direto.​
Adicionalmente, recomenda-se que:

Seja reduzida ao mínimo a utilização das instalações da Universidade em Gualtar pelos membros da comunidade universitária;

Seja reduzida ao mínimo a realização de conferências, seminários, cerimónias e eventos de natureza similar no campus de Azurém e nos restantes espaços da Universidade.

Considerando as disposições constantes do presente despacho, as unidades orgânicas poderão determinar medidas complementares, em função da especificidade da sua atividade.

Apela-se a que todos os membros da comunidade universitária assumam uma posição serena e responsável, contribuindo para que a Universidade lide da melhor forma com a crise que enfrenta.

O presente Despacho será objeto de revisão em função da avaliação que, em cada momento, for feita da adequação das medidas agora adotadas à finalidade de prevenção e controlo da COVID-19.

É revogado o Despacho RT-22/2020, de 6 de março.

Fonte: OMinho