Início Educação A Verdadeira Luta dos Professores: Desobedecer – Alberto Veronesi

A Verdadeira Luta dos Professores: Desobedecer – Alberto Veronesi

78
0

É hora de os professores se levantarem e reivindicarem os seus direitos de uma maneira que seja verdadeiramente eficaz. As manifestações fofinhas, vigílias simpáticas, cartazes dispendiosos e aviões inócuos podem ter o seu valor simbólico, mas, no final das contas, não estão a produzir os resultados que desejamos. É hora de adotar uma abordagem mais radical, uma abordagem que mostre ao governo que estamos dispostos a fazer o que for necessário para alcançar nossas reivindicações.

Coragem é para os Fortes

Coragem não é apenas um ato de bravura, mas também de determinação. Temos exemplos de indivíduos fortes ao longo da história que lutaram por mudanças significativas. Pense em líderes como Martin Luther King Jr., Mahatma Gandhi e Nelson Mandela, que não apenas protestaram, mas também se sacrificaram pelas suas causas. Eles ensinam-nos que a coragem está enraizada na persistência e na disposição de fazer sacrifícios.

A Necessidade da Greve por Tempo Indeterminado

A única maneira realista de pressionar o governo a ceder às nossas demandas é marcar uma greve por tempo indeterminado. Isso significa que os professores devem estar dispostos a, não a parar indefinidamente que isso daria cabo das já frágeis finanças dos professores, desobedecer aos serviços mínimos. Só faltávamos aos serviços mínimos e o impacto seria brutal. Seria assim até que as nossas reivindicações sejam atendidas. Isto é,  que o governo começasse por aceitar negociar o faseamento do descongelamento. Não podemos simplesmente esperar por soluções rápidas, como manifestações de um dia, para produzir resultados tangíveis. Precisamos estar preparados para a longa batalha.

Desobediência ao Colégio Arbitral

O governo muitas vezes utiliza o colégio arbitral para decidir os serviços mínimos durante as greves dos professores. Algo que o tribunal da relação de Lisboa já veio dizer que são ilegais. Estamos respaldados pela lei. Portanto, é hora de desobedecer a essas decisões. Devemos permanecer firmes na nossa greve por tempo indeterminado e recusar qualquer concessão que o governo tente impor por meio do colégio arbitral.

A Greve de Zelo como Estratégia

Além da greve por tempo indeterminado, devemos adotar uma greve de zelo a sério. Isso significa que não devemos dar um minuto a mais do que o necessário à escola. Não devemos gastar dinheiro com materiais didáticos ou recursos que a escola não fornece. Essa greve de zelo não apenas enfraquecerá a capacidade do sistema de funcionar, mas também destacará a importância dos professores em manter a educação em movimento.

Reverter a Narrativa

O governo tem nos tentado fazer acreditar que nossas reivindicações são coisa do passado, pois ao longo deste ano já cedeu em muita coisa. No entanto, adotando essas medidas drásticas, podemos reverter essa narrativa falaciosa. Demonstraremos que estamos dispostos a lutar pelo que merecemos e que não aceitaremos ser ignorados. Somente com firmeza e coragem podemos esperar algo diferente.

 

Em resumo, é hora de os professores se unirem em uma luta verdadeira e eficaz por seus direitos. As manifestações tradicionais não estão a funcionar e é preciso adotar estratégias mais audaciosas.