Início Educação A Liberdade ainda não chegou a todos – Elisa Manero

A Liberdade ainda não chegou a todos – Elisa Manero

1554
0
Está quase a tocar, para o segundo tempo, após entregar os testes e feita a correção, perguntei aos alunos se já tinham feito a sua escolha para o Ensino Secundário.  Alguns alunos dizem que já fizeram a sua inscrição.  Uma aluna disse: Eu quero ir para um Curso e a minha mãe não me deixa, estou farta de discutir com ela.
Todos os anos existem alunos que se inscrevem em percursos do Ensino Secundário que não querem, a pressão familiar é decisiva.
Começam o ano letivo sem interesse, faltam e comprometem o seu percurso naquele ano, sem dedicação e estudo não conseguem transitar para o ano seguinte.
Mais da metade dos alunos faz escolhas porque a família diz que é melhor.
Estou a recordar a minha Direção de Turma do 10º C, a  Escola do Centro de Lisboa que tem muita  procura, no fim do ano letivo metade dos alunos mudou de área, de estudos.  O sucesso dos alunos foi residual, quando conversava com eles, confessavam que não gostavam da área, estavam arrependidos e que estavam infelizes.
Quem é que consegue ensinar alunos infelizes?  Quem é que consegue ensinar alunos que não querem aprender?
Vou recordar um aluno, o H, que estava no 9º ano. O H é um aluno  muito inteligente, perspicaz que resolvia oralmente os exercícios e que ficava impaciente porque eu tinha de voltar a repetir duas e três vezes.  os procedimentos matemáticos para os outros alunos, Cheguei a um acordo com ele metade do caderno fazia o seu desenho, na outra metade resolvia os exercícios que eu pedia, ele fazia o dobro dos exercícios dos outros.  Hoje em dia é um artista.
Vou falar do A. um aluno do 7º ano, um artista, tem dificuldades de aprendizagem na disciplina de Matemática, também cheguei a um acordo, pode ter o seu caderno de desenhos, mas tem de registar os exercícios e tentar resolver os exercícios  que proponho,  Com a A. o caminho foi difícil, estava sempre virado para trás, a falar , não registava os conteúdos do quadro e fazia muita oposição, Encontrar  a paz social foi difícil, mas como costumo dizer aos meus alunos, eu vou quase sempre atrás deles. Na minha sala, parecemos as Nações Unidas, tenho acordos com quase todos.
Vivemos em Liberdade, mas a liberdade ainda não chegou a todos.
A Professora de Matemática
Elisa Manero

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.