Início Uncategorized Professor Que É Professor Não Vota PS! Leia As Razões

Professor Que É Professor Não Vota PS! Leia As Razões

20
4

SE O 1.º MINISTRO FALASSE VERDADE DIRIA QUE…

– Há dinheiro para pagar milhares de milhões de euros das negociatas obscuras de bancos e Parcerias Público Privadas, mas assim já não há dinheiro para uma contagem integral e faseada do tempo de serviço docente. Estas prioridades explicam a degradação dos serviços públicos na área da Educação e da Saúde prejudicando severamente o presente e o futuro das populações.

– Alimentou expectativas a milhares de professores sobre a contagem de todo o seu tempo de serviço; referimos apenas dois exemplos: o acordo assinado pelo governo PS em novembro de 2017 com os sindicatos docentes (existentes na altura) e a aprovação na Assembleia da República (com os votos favoráveis do PS) de uma recomendação nesse sentido em dezembro de 2017.

Estudos independentes demonstram que a classe docente está envelhecida, desmotivada e à beira da exaustão. 22 000 usam medicação em demasia, 31% expressam desmotivação para ensinar, 47,8% apresentam sintomas preocupantes de exaustão emocional e 85% consideram que o Ministério da Educação não valoriza o seu trabalho.

PROFESSORES ENVELHECIDOS, DESMOTIVADOS E EXAUSTOS NÃO SÃO O MELHOR PARA AS NOSSAS CRIANÇAS E JOVENS!

EXIGIMOS MELHORES CONDIÇÕES PARA OS NOSSOS ALUNOS!

(comunicado do S.TO.P. distribuído hoje numa Escola em Coimbra a toda a comunidade escolar).

É importante PARTILHAR este post para chegarmos a mais Encarregados de Educação. Dessa forma poderão mais facilmente compreender que as nossas reivindicações também melhoram a qualidade de ensino dos seus filhos.


SE O 1.º MINISTRO FALASSE VERDADE DIRIA QUE…

• Ao contrário do que prometeu a precariedade no Estado continua a afetar severamente muitos milhares de docentes e técnicos.

• Reconhece a profunda injustiça de milhares de professores lecionarem um ano letivo inteiro e por mês lhes serem contabilizados (para efeitos da Segurança Social) menos de 30 dias de trabalho (com 15 ou menos horas letivas) aumentando severamente a sua precariedade presente e futura.

• Assume que a vida de muitos milhares de professores das atividades de enriquecimento escolar (AEC) continua precária, a recibos verdes, apesar de serem necessários todos os anos.

• Reconhece que há muitos professores que, apesar de terem contratos anuais sucessivos durante muitos anos, estão praticamente excluídos de vincular pelas injustas regras do Ministério da Educação (ex: grupo de alemão onde raramente há horários completos).

• Assume a injustiça de milhares de professores contratados, nomeadamente após trabalharem 10, 15, 20 ou mais anos, continuarem a receber o mesmo vencimento (muitas vezes longe de casa e sem qualquer subsídio de alojamento/transporte).

• Reconhece que cada vez há mais alunos que ficam sem aulas durante longos meses porque nenhum professor aceita esse horário (face aos custos associados a algumas zonas do país simplesmente o salário não cobre as despesas de alojamento e viagens).

PROFESSORES/TÉCNICOS A TRABALHAR EM PROFUNDA INSTABILIDADE NÃO SÃO O MELHOR PARA AS NOSSAS CRIANÇAS E JOVENS! EXIGIMOS MELHORES CONDIÇÕES PARA OS NOSSOS ALUNOS!

SE O 1.º MINISTRO FALASSE VERDADE DIRIA QUE…

– Ao contrário do que o seu governo prometeu, continuam a faltar milhares de funcionários nas Escolas Públicas. Essa falta de trabalhadores não docentes nas escolas tem provocado uma sobrecarga laboral ainda maior dos funcionários existentes o que tem consequências diretas nomeadamente na segurança e bem-estar dos nossos alunos (estudos em Portugal indicam que a violência física no ambiente escolar aumentou e que mais de metade dos alunos evitam ir à casa de banho na escola).

– Assume que os trabalhadores não docentes também são fundamentais para garantir o bem-estar das nossas crianças e jovens no ambiente escolar e que isso é indissociável das melhores condições de aprendizagem.

– Reconhece que tem responsabilidade por existir no nosso país prémios/salários milionários para gestores de empresas (com 50% ou mais do Estado) que dão prejuízo (ex: TAP) ou a boys partidários, ao mesmo tempo que milhares de funcionários escolares continuam a receber salários de miséria após 10, 20, 30 ou mais anos de dedicação à Escola Pública (para não falar na falta de investimento no combate à corrupção que leva o Estado a perder mais de 18 mil milhões de euros todos os anos o que daria à vontade para aumentar significativamente estes salários e contar todo o tempo de serviço docente e não docente).

FUNCIONÁRIOS ESCOLARES SOBRECARREGADOS, DESMOTIVADOS E COM SALÁRIOS DE MISÉRIA NÃO SÃO O MELHOR PARA AS NOSSAS CRIANÇAS E JOVENS! EXIGIMOS MELHORES CONDIÇÕES PARA OS NOSSOS ALUNOS!


SE O 1.º MINISTRO FALASSE VERDADE DIRIA QUE…

– Em setembro de 2016 comprometeu-se a retirar todo o amianto dos edifícios públicos até ao final de 2018. Mas já estamos em setembro de 2019 e quase todas essas escolas continuam com amianto.

– Um estudo europeu alerta que nos próximos 10 anos irão morrer na Europa cerca de 500 000 pessoas por terem sido expostas ao amianto. E é totalmente inaceitável sujeitar milhares de alunos, funcionários, professores, pais, etc diariamente a uma substância muito perigosa (amianto) que provoca doenças mortais nomeadamente o cancro do pulmão.

– Admitiria que este grave problema de saúde pública e ambiental viola os mais básicos direitos das crianças e trabalhadores das escolas (direito a estudar e trabalhar em local seguro para a sua saúde).

– Reconheceria que o Estado português só permite a legalização de instalações destinadas a fins pecuários se estas retirarem as estruturas de amianto mas a milhares de pessoas que frequentam escolas com amianto fecha-se os olhos … Nem os animais são assim tratados!

– Admitiria que uma escola é um local para aprender, não para adoecer/morrer e que quanto mais se espera (pelas obras que não acontecem) maior é o risco de se contrair essas doenças associadas ao amianto.

MILHARES DE ALUNOS, FUNCIONÁRIOS, PROFESSORES NÃO PODEM CONTINUAR SUJEITOS DIARIAMENTE AO AMIANTO. EXIGIMOS RESPEITO PELA NOSSA SAÚDE/VIDA!

Fonte: STOP

4 COMENTÁRIOS

  1. Os professores são o derradeiro obstáculo que urge destroçar para disseminar o pensamento-único-pré-formatado, que irá minar e contaminar toda a cultura e a sociedade e até a própria classe política. Esta, devido à sua ignorância e impreparação, declara-se adepta daquele, porque ainda não percebeu o logro em que incorre. Ademais, a luta dos professores é inglória, porque os governos não respeitam a classe docente, maioritariamente constituída por mulheres. Este é um aspecto fulcral, mas que ninguém ousa sublinhar – os governos não respeitam as mulheres.

  2. As mentiras vêm de há muito. Conseguiram desunir e destruir o que ainda tínhamos de bom com falsas promessas. Já só acredito, quando vir escrito e mesmo em formato de decreto de lei estamos a ser enganados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.