Início Uncategorized E se as escolhas deixassem de funcionar durante 9 anos 4 meses...

E se as escolhas deixassem de funcionar durante 9 anos 4 meses e 2 dias?

12
28

Eureka! Eureka! Encontrei a solução para que os professores recuperam os 9 anos 4 meses e 2 dias, sabem qual é?
Parar as escolas durante exatamente esse período de tempo. Não acham uma ideia ótima?

Gostava de ver o governo a nomear uma comissão técnica, mas desta vez para calcular os prejuízos sociais e económicos, talvez fossem mais que os 600 milhões (o papão social)!

Só quero deixar mais uma palavrinha aos sindicatos que fazem parte da plataforma sindical, não esperava outra atitude que não a de ontem, como é possível aceitarem a conversa da Comissão?

Já não fizeram e apresentaram as contas (os sindicatos)? Ou estariam erradas?

O governo já não fez as contas?

Não tiveram tempo de fazer as contas desde setembro de 2017?

Acham mesmo que os professores são acéfalos?

Que tal mostrarem as vossas folhas salariais à nação com todas as progressões nos últimos anos?

Quantos de vocês estão no décimo escalão sem pisarem uma sala de aula há décadas?

Estiveram congelados?

Tenham vergonha!

28 COMENTÁRIOS

  1. A técnica utilizada é a da procastinação, mas na verdade perdemos todos, os professores e as suas famílias e todas as outras vertentes , até o governo perde, pois desacreditado ficou e quando for perto das eleições vai querer aproveitar isso como alavanca política. Mas a magoa entretanto gerada terá o seu salário. Mas cativos das orientações políticas está o país. Esperemos por uma melhor geração então isso levará mais 20 anos. Teremos que trabalhar as consciências dos actuais alunos, com melhor fibra moral. Nessa altura o peso da reforma abater-se-á sobre o país em duas vertentes, muitos docentes faltarão ao sistema, tantas que poderá ser como um tsunami, quando as águas recuam. Não tenho números mas mais de 50% dos docentes tem mais de 50 anos. Se há mais de 100 000 docentes, veremos quem irá querer entrar na educação com as actuais regras do jogo.

  2. O país continuava a existir…..se os trabalhadores do privado em especial aqueles que produzem bens essenciais, aí sim é que existiam problemas…..

  3. A falta de vergonha na cara de quem escreve estas baboseiras devia pagar imposto.. Haja paciência. Pode apagar o comentário que já percebi a voz do seu dono.

  4. Só pode ser do cansaço e do desgaste destes dias. As minhas humildes desculpas. Devo ter perdido algures o meu detector de ironia.

  5. Se não fossem os sindicatos estaríamos muito pior Sr Eduardo Sá! De facto quem mais prejudica todas as tentativas até de recuperar alguma coisa são os opinadores que gostam sempre de falar do que não é a experiência deles! Tal como eu não sei da sua profissão, apesar de lidar com ela de perto, entendo não dever comentar se os pasicólogos são bons ou maus, se ganham muito ou pouco! Nesse aspeto cada um tem o direito de reivindicar sempre mais para si! Se acha bem o que ganha eu também acho que sim, decerto que o merece! Se acha que ganha muito, sorte sua! Se acha que ganha pouco então estará a ser prejudicado deverá ter o direito de o reclamar! A justiça é assim que deve entender-se! E atualmente será necessário ter tanto que fazer em termos de trabalho sem por também os seus pés no consultório? Na internet, na rádio, na televisão! As consultas não seriam mais valiosas para ajudar quem precisa de um bom psicólogo como o senhor? Já agora valia a pena pensar nisso, não acha? Mais tempo em prol da cura e menos em prol da cura da sua carteira! Já sei que me vai dizer que faz serviço social ao falar na TV, na rádio, etc. Fá-lo gratuitamente? Aposto que não! Desejo-lhe um futuro risonho, se possível sem frequentar os meios alternativos ao consultório, verdadeiro local do seu trabalho, durante 9 ANOS 4 MESES e 2 DIAS!

  6. eu não sei o que é "funcinonar"… "E se as escolas deixassem de funcinonar durante 9 anos 4 meses e 2 dias?"
    Mas a minha solução seria mais radical: e se o governo deixasse de se governar durante 9 anos, 4 meses e 2 dias, para equilibrar as contas?… talvez não fosse má ideia e tivéssemos algum sossego e avanço entretanto.

  7. Os trabalhadores do privado também envelhecem. E, depois? Iriam ser substituídos por analfabetos. Será que os empresários os iriam querer nas suas empresas altamente inovadoras e tecnologicamente avançadas sem mão-de-obra minimamente qualificada???

  8. Fidebeque, esclareça-me, por favor: que produzem aqueles bens essenciais para os quais não são necessárias qualificações, ou aqueles para os quais são necessárias qualificações? Promover desenvolvimento de competências e qualificações num ser humano não é mais importante que fabricar pacotes de leite ou danoninhos? A saúde é um bem essencial ou acessório? Não são necessárias qualificações para poder exercer essa função? O seu comentário revela uma grande confusão entre o que é importante e diz respeito a todos e o negócio que enche os bolsos a alguns.

  9. Fechem as escolas 9 anos e os milhares de professores do público vão ter de mudar de profissão ou vão morrer à fome! Eles ganharam ordenado nestes anos, ou não? Quem se reformou no ano passado vai ser compensado na sua reforma?! Ou continua a receber em função do que realmente descontou?
    Os professores subiam mais rápido que a maioria da função pública e o congelamento veio adiar o problema mas não o resolveu.
    Há 6-7 anos estávamos na bancarrota e pensam que estamos ricos agora?
    Não é por acaso que quem já progrediu vai andar a recuperar a progressão durante 2 anos. Justo seria haver retroactivos para quem esteve congelado mas isso é uma utopia!

  10. Por mais empatia que tente ter pelos professores, ate porque os vejo como os pilares de qualquer sociedade, nosentido que sao eles que ajudam a formar novas geracoes, a verdade , e que em termos praticos, a progressao na carreira so porque sim, so porque foram trabalhar, ( o que acontece em todo o sector publico)nao consigo concordar. No privado para progredir, ou se prova merito e competencias, e sobe-se a pulso, porque e que no publico, para alem de outras benesses , tem de progredir na carreira so porque aparecem para trabalhar… nao concordo! Obviamente nao me refiro apenas a professores especificamente, mas a todo o sector publico. Progressao na carreira sim, mas nao so porque se "pica o ponto".
    Va …enxovalhem-me a vontade 🙂

  11. Já fui professor, durante muitos anos, e já trabalhei na indústria durante muitas anos. Por isso estou bem consciente da importância dos professores numa sociedade. Porém também tenho consciência da importância de muitas outras actividades e profissões. Por isso, quando vejo alguém a defender que "a minha é que é mais importante" ou "eu é que sou importante" fico triste. Mesmo muito triste. E quando esse alguém é um professor, então fico muito preocupado. Afinal, numa família composta por 4 filhos, o mais velho, com mais força, não pode querer comer as três sardinhas existentes argumentando que, caso isso não aconteça, deixa o gato entrar para a dispensa….Depois, se os professores se ausentassem durante o período referido, deixavam de receber o ordenado a admitir-se-iam novos agentes. Uma coisa me ensinou a experiência. Não há insubstituíveis em qualquer actividade. Afinal os cemitérios estão cheios de muitos que se consideraram insubstituíveis e mesmo assim as coisas vão melhorando. Note-se que esta minha resposta não significa nada contra os professores mas apenas pretende responder à sugestão do sr. do BLOGSPOT.

  12. Que bens essenciais produziriam mentes acéfalas? É uma "boa proposta". Pagava para ver até quanto demoraríamos para estarmos ao nível da África profunda. Uma geração? Menos? Mais? Sempre ouvi dizer que o feedback só atrapalha.

  13. Vê-se mesmo que está mal informado…caso contrário não diria tal coisa! Se tivesse um professor na família (tenho alguns) sabia que isso da progressão só porque sim é mentira! São obrigados a fazer formação contínua para obter créditos para progressão na carreira! Têm também avaliações de desempenho, etc. para além dos x anos que têm de estar em cada escalão. Procurar por informação correcta pelos vistos dá trabalho e depois dá nisto…não se deve enxovalhar 🙂 só elucidar, assim já pode ficar mais descansado, concordo consigo, todavia o "só porque sim" aqui não é o caso.

  14. Boa tarde!
    Concordo, em parte, com a primeira resposta e, em parte, com a segunda.
    Não há a menor dúvida que os professores são um fortíssimo pilar da sociedade e devem ser respeitados e remunerados como tal.
    Dito isto…
    Na realidade, para poderem progredir, os professores têm que fazer provas, actualizações, formações, etc.
    Isto é um facto.
    Também é um facto que, numa organização são necessários X Directores, XX Chefes de Serviço, XXX Chefes de Equipa, XXXX Operacionais de Primeira, XXXXX Operacionais de Segunda, etc.
    Independentemente dos anos que passarem como Operacionais de Primeira, ou Chefes de Equipa, só podem subir de escalão se houver uma vacatura . Simplesmente, porque não são necessários mais pessoas, nessa função.
    Alias, infelizmente, cada vez teremos menos estudantes, porque existem cada vez menos nascimentos. (Também é um facto).
    No sector privado, se quiser subir de categoria e não o puder fazer na sua empresa, terá que procurar outra. Talvez, que seja funcionário publico ou professor (público) deva seguir o mesmo processo…
    Também tenho varias pessoas, na família, que são professores e formadores mas, é este o meu raciocínio pragmático.
    Melhores cumprimentos

  15. Eu até compreendo a ideia, mas não seria mais serio, e torno a dizer, mais serio, em vez de exigir porque os outros tambem têm, exigir igualdade para todos, publico e privado.
    Não é pedir mais dinheiro porque já lá está há x anos, mas sim exigir que se eliminem essas progressões pornograficas, porque quem paga tudo isso é o povo e a maior parte com metade do rendimento liquido de um professor em inicio de carreira.
    Sejam directos.
    Seja qual for o funcionario publico com rendimentos igual ou acima de um professor em inicio de carreira que se sinta ofendido com o que ganha, dirija-se ao povo que trabalha no privado e exija mais.
    Exijam ao povo do privado que pague mais impostos para progredirem na carreira.
    Exijam ao povo do privado que pague mais para o vosso serviço de saude.
    Já Não basta ter que pagar mais impostos para trabalharem menos 5h por semana e muito mais…
    Tenham coragem e exijam ao povo.

  16. Não olhem apenas para a situação dos professores! Todos os funcionários públicos (das escolas e não só) são muito importantes na sociedade!
    Todos os funcionários públicos sofreram alterações severas nas suas carreiras há 9 anos atrás! Todos os funcionários públicos sofreram alterações nos seus salários! Todos os funcionários públicos estiveram todo esse tempo com as suas carreiras e salários congelados! Com o descongelamento, a diferença no bolso é de uns míseros euros! Ou seja, não faz a diferença!
    Pergunto eu: e se toda a função pública parasse durante 9 ou 10 anos? Toda a sociedade teria de parar à força!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.