Início Editorial Sintomas raros de covid-19 pediátrico Vs Abertura de creches e Pré-Escolar

Sintomas raros de covid-19 pediátrico Vs Abertura de creches e Pré-Escolar

12203
0

O maior problema desta nova doença, Covid-19, é o facto de ninguém no mundo a conhecer. É nova!

A própria OMS, inicialmente, a desvalorizou, mas hoje em dia sabemos que a letalidade é bem maior que a gripe comum e o R0 também é superior.

Outra coisa que até aqui se achava saber, nada é certo nesta doença, era de que afetava poucas crianças, se afetava estas eram assintomáticas e os casos de agravamento da doença eram raros.

Tudo bem, fecha-se as escolas e ficamos todos descansados. E assim foi!

No momento em que estamos a dias da reabertura de creches, dia 18 de maio, e de pré-escola, dia 1 de junho, as preocupações voltam e no caso com alguma razão.

Sabe-se agora que tem surgido em todo o mundo casos mais complexos e que estes tem levado pediatras de vários países, mesmo por cá, a recorrerem a medicação experimental, por não saberem ao certo o que é!

Ou seja, estamos novamente perante um dado novo. É raro infetar crianças e geralmente benigno, mas será que algum pai quer arriscar que o seu filho seja um dos raros?

Esta questão marcou a semana, várias notícias do surgimento de sintomas atípicos em crianças noutros países europeus, tais como Reino Unido, Espanha e Itália.

Nesses países as investigações para perceberem estes casos multiplicam-se assim como para perceberem a sua possível relação com o covid-19.

Há crianças que tem de ser internadas nos Cuidados Intensivos, devido a sintomas semelhantes aos causados pela síndrome de Kawasaki.

Em Portugal há pelo menos um caso destes, conforme disse a Diretora-geral de Saúde numa das suas conferências de imprensa.

A própria OMS começou a investigar e a perceber se há efetivamente relação com o Covid-19.

No Reino Unido os casos são já vários e muitas das crianças apresentam um estado inlfamatório multissistémico que os leva a internamentos em Unidade de Cuidado Intensivo.

Vivemos todos tempos de demasiada incerteza para se arriscar, que nos costuma valer está também em dificuldades porque a doença é ainda muito recente, estamos todos às apalpadelas.

Queremos mesmo arriscar?

Em Itália, por exemplo, a creche, o pré-escolar e as escolas só reabrem, talvez, em setembro e para que os pais possam retomar a atividade o governo financia a contratação de uma babysitter…é manifestamente um sistema onde a propagação do vírus será reduzida…

Pensemos porque vamos muito a tempo de recuar, como disse o nosso PM António Costa, sem vergonha, recuemos na reabertura de creche e pré-escolar! É uma Roleta Russa, com a vida não se brinca!

Alberto Veronesi

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.