Início Educação “Repugno (medidas da DGS) vivamente, por serem claramente prejudiciais para a saúde”

“Repugno (medidas da DGS) vivamente, por serem claramente prejudiciais para a saúde”

1112
1

Carta registada de um Enc. De Educação

Exmos. Srs.,
Diretor
Professor
Carta registada com A/R

Assunto: Solicitação de termo de responsabilidade em conformidade com as orientações da DGS para o ano lectivo 20/21, quanto aos meus filhos(as).

Exmos. Srs.,
No seguimento das medidas recomendadas pela D.G.S./M.S., que repugno vivamente, por serem claramente prejudiciais para a saúde, e educação de todos os alunos, tal como, desproporcionais para o número de mortalidade por Covid-19 e para que se considere estar perante uma pandemia, venho solicitar o seguinte no prazo de 5 dias úteis:
1 – Termo de responsabilidade em conformidade com as medidas, do Ministério da Educação, quanto aos meus filhos(as).
2 – Termo de responsabilidade em conformidade com as medidas, assinado por si, quanto aos meus filhos(as).
Caso, não receba os termos de responsabilidade, confessa V. Exa. e o Ministério da Educação que, têm exatamente a mesma opinião que eu, sobre as medidas políticas, autoritárias e arbitrárias da DGS/MS.
Mais, aludo para todos os efeitos legais que:
1 – Não autorizo que façam testes utilizando a zaragatoa.
2 – Não autorizo que o meu filho(a) seja colocado em salas de isolamento.
3 – Não autorizo que o meu filho não possa conviver com os seus colegas em ambiente sadio.
4 – Não autorizo qualquer doutrinação em aulas quanto ao Covid-19 e medidas políticas implantadas pela DGS/MS.
5 – Não autorizo que o meu filho tenha que circular por trilhos, não possa almoçar e jantar em convivo com os seus colegas, que seja medida a temperatura, nem outras medidas políticas da DGS.
6 – Não autorizo que usem o meu filho para dilatar os números de casos supostamente com Covid-19, através das comuns constipações, gripes e viroses que todas as crianças e jovens sofrem.
7 – Não autorizo que o meu filho seja entregue a uma terceira pessoa à entrada da escola e que eu ou a mãe(pai) não possamos entrar.
8 – Não autorizo que existam zonas sujas e limpas nas escolas e que evitem a saudável camaradagem entre as crianças e jovens através do distanciamento, até na simples partilha de uma caneta ou peça de comida.
9 – Não autorizo que os meus filhos sofram para conseguir respirar, tenham tonturas ou outros efeitos relacionados com o uso de máscaras.

A presente missiva, é escrita nos termos e na defesa dos Direitos, Liberdades e Garantias Fundamentais previstas na Constituição da República Portuguesa, que o topo da hierarquia legal em Portugal, da Convenção Universal dos Direitos do Homem.
<OPCIONAL: Faço parte da UPSE (União de Pais pela Saúde e Educação), somos milhares a nível nacional e estamos muito atentos ao que se está a passar com os NOSSOS filhos.

O nosso advogado, Dr. Ricardo Graça já intentou vários processos em tribunal contra as orientações da DGS e utilização de máscaras nos últimos dias, e ao mínimo desrespeito pela minha expressa vontade acima descrita, não hesitarei em acionar todos os meios legais ao meu alcance para fazer valer os meus direitos.>

Apresento os meus melhores cumprimentos,

Fonte: Facebook

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.