Início Educação Marcelo: Portugueses devem ser esclarecidos sobre regras para ano letivo

Marcelo: Portugueses devem ser esclarecidos sobre regras para ano letivo

570
0

Estamos agora à entrada do mês de setembro. Daqui a 15 dias temos o arranque do ano letivo. É muito importante que a sociedade portuguesa como um todo seja esclarecida [sobre as regras a vigorar nas escolas]. As regras sanitárias não podem ser consideradas como regras que só meia dúzia de eleitos é que podem perceber”, declarou aos jornalistas, em Faro.

Sublinhando que a Direção-Geral da Saúde e as direção das escolas “certamente” já terão definido as regras para este ano letivo, cujo início decorre este ano entre 14 e 17 de setembro, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que as mesmas “sejam esclarecidas e explicitadas bem” à comunidade nacional.

“É evidente que quanto mais cedo for feito, melhor é essa tarefa de esclarecimento”, respondeu, quando questionado pelos jornalistas se as regras deveriam ser divulgadas já.

A Federação Nacional da Educação, a Confederação Nacional das Associações de Pais e a Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas apelaram hoje para que as orientações para o ano letivo 2020/2021 sejam “claras e coerentes”.

Num ano letivo que se perspetiva “atípico” devido à pandemia de covid-19, as três organizações apresentaram hoje um documento conjunto, que em breve será enviado ao Presidente da República, Ministério da Educação e grupos parlamentares, onde expõe as suas preocupações e sugestões para o ano letivo 2020/2021.

Se, por um lado, apelam à Direção-Geral da Saúde (DGS) para que as orientações para o funcionamento do próximo ano letivo sejam “rigorosas, claras, coerentes e exigentes”, por forma a salvaguardar a comunidade escolar, por outro, pedem “rapidez” ao Ministério da Educação na divulgação dessas mesmas orientações.

O Presidente da República reconheceu, no entanto, que a DGS tem uma tarefa “quase ciclópica”, dada a necessidade de definição de regras para tantos setores, embora tenha de cumprir essa missão.

“Aquilo que se está a pedir à DGS é muito ingrato, muito difícil e muito trabalhoso”, frisou, após uma visita a uma instituição de apoio social em Faro.

Após esta visita, Marcelo Rebelo de Sousa deslocou-se ao museu municipal de Faro, onde descerrou uma placa alusiva à atribuição da categoria de tesouro nacional ao mosaico romano do Deus Oceano.

A agenda do chefe de Estado para hoje no Algarve termina com um jantar de trabalho com autarcas também em Faro.

Notícias ao Minuto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.