Início Notícias Creches pressionadas a receber formação em Covid-19

Creches pressionadas a receber formação em Covid-19

1397
0

“As entidades oficiais não têm estado paradas neste período de pandemia e têm efetuado diversas notificações às empresas”.

É nestes termos que uma empresa da área da segurança e saúde no trabalho, presente em alguns dos maiores distritos do país, se disponibiliza, via e-mail, junto das creches, para dar “formação Covid-19”, “atualizar a avaliação de riscos profissionais (AVRP)” ou mesmo desinfetar os espaços; serviços pagos, obviamente, quando as creches ainda nem sequer sabem em que moldes irão reabrir no próximo dia 18.

Em todo o caso, a mesma empresa faz notar que “a avaliação de riscos profissionais, a desinfeção aos espaços e a formação aos trabalhadores” são de “caráter obrigatório” e constam das medidas anunciadas pelo Governo.

Segundo a Renascença apurou, pela formação Covid, em regime de “e-learning” são pedidos por cada trabalhador, 35 euros acrescidos de IVA; pela atualização da AVRP é cobrado o valor único de 75 euros, a que acresce também o IVA.

O custo da desinfeção é orçamentado de acordo com a área a intervir. A empresa em causa sublinha que está apenas a canalizar “informação credível”, nomeadamente com o objetivo de ajudar a “minimizar as coimas associadas a esta situação”.

Creches com muitas despesas e à espera de poucas crianças

O acréscimo de custos com a higiene e segurança no trabalho – bem percetível – é mais um problema a juntar ao rol de preocupações com que se debatem as creches, quando faltam apenas seis dias úteis para a reabertura (contando já com esta sexta-feira).

Maria de Fátima Aresta – educadora de infância com vasta experiência, que há poucas semanas questionou o Governo sobre as razões de serem as creches as primeiras a reabrir – volta à carga para lamentar o que classifica de tentativas de “manipulação e de pressão”.

Ler mais…

Fonte: RR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.