Início Educação Autarquias e empresas juntam-se para dar computadores

Autarquias e empresas juntam-se para dar computadores

205
0

A pandemia de Covid-19 em Portugal trouxe mudanças ao ensino em Portugal. Os professores foram obrigados a reformular os métodos de ensino e as plataformas digitais, como o Zoom in, passaram a ser as novas salas de aula desde que as escolas encerram, a 16 de março. Contudo, o ensino à distância exacerbou as desigualdades sociais entre alunos, que a escola tradicional tentava combater. Por isso, empresas e autarquias colocaram mãos à obra para colmatar esse fosso, através da doação de equipamentos tecnológicos para os estudantes.

Em Portugal, estima-se que cerca de 50 mil alunos não terão computadores nem acesso à internet. Segundo um inquérito do Centro de Economia da Educação da Nova SBE, os professores reportam que 23% dos alunos não têm um computador com acesso à internet, sendo que os valores são mais elevados no ensino público do que no privado. “Por exemplo, no 1.º ciclo do ensino público, a média da percentagem de alunos sem computador com acesso à Internet é de 31%, enquanto que em escolas privadas este valor cai para 10%“, assinala o inquérito.

Mesmo entre as escolas públicas, o estudo aponta para realidades muito diferentes. A título de exemplo, no 1.º ciclo, “20% dos professores indica que praticamente todos os seus alunos (>90%) tem computador com internet. Mas também existem muitos professores (cerca de 25%) que indicam que mais de metade da turma não tem computador”, lê-se.

Autarquias com meta comum: colmatar as desigualdades no ensino à distância

Com o intuito de colmatarem estas desigualdades entre alunos e a fim de promoverem o ensino à distância durante o terceiro período escolar, várias são as autarquias que estão a reunir esforços para oferecem equipamentos tecnológicos aos seus alunos. É o caso da Câmara Municipal de Oeiras, que, em parceria com a Altice, decidiu disponibilizar equipamentos por forma a “universalizar a igualdade de oportunidades”, aponta o município em comunicado. Assim, depois de identificar através das escolas, os alunos e professores sem os meios tecnológicos necessários, o município garantiu o equipamento para quem não tinha.

Num universo de 20 mil alunos e dois mil professores, entre as doações constam 1.944 equipamentos entre tablets, computadores portáteis e smartphones, sendo que a maioria foi entregue a alunos (1.914) e os restantes 30 a professores.

Além disso, a autarquia distribuiu também 200 câmaras, 200 microfones e 1.185 routers para o acesso à internet, para 1.158 para alunos e 27 para professores. Por forma a promover uma maior facilidade de contacto entre professores e alunos, “serão também disponibilizados dois números de telefone com chamadas totalmente gratuitas”, através do serviço Service Desk, informou ainda a Altice em comunicado. Este projeto, que terá um investimento de cerca de 140 mil euros, além da Altice, tem como parceiros a Cisco, que permite criar salas de aulas virtuais.

Ainda pelo distrito de Lisboa, após um levantamento em conjunto dos agrupamentos de escolas, a Câmara de Cascais deparou-se com o facto de 194 alunos do secundário não possuírem internet nem meios informáticos para poderem aceder às aulas virtuais. Face a estas circunstâncias, o presidente da autarquia, Carlos Carreiras, decidiu realizar “a entrega simbólica dos primeiros tablets que o município vai ceder, em regime de empréstimo, aos alunos do 10 ao 12.º anos de escolaridade”, informa o município em comunicado.

Além disso, a Câmara Municipal de Cascais cedeu, de forma gratuita, acesso à internet via wi-fi, através de equipamentos hotspot com capacidade 60 Gb/mês.

Da mesma forma, a Câmara Municipal de Odivelas disponibilizou 360 computadores e 30 tablets aos agrupamentos de escolas para que estes sejam entregues aos alunos que não têm meios para acompanhar o ensino à distância. “Os alunos foram sinalizados pelos respetivos professores titulares e diretores de turma, cabendo a cada unidade organizacional gerir os equipamentos em função das necessidades da sua população escolar e do plano de ensino à distância que está a implementar“, informa autarquia em comunicado publicado nas redes sociais.

Além disso, foi ainda lançada uma campanha de recolha de equipamentos informáticos dirigidas às empresas e à comunidade em geral, apelando à doação de computadores, monitores, portáteis ou tablets fora de uso. A recolha é assegurada pela Câmara, podendo ser solicitada através do número 967 080 505 ou pelo email geral@cm-odivelas.pt.

Fonte: Eco

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.