Início Educação Afinal, a tecnologia não prejudica as habilidades sociais das crianças

Afinal, a tecnologia não prejudica as habilidades sociais das crianças

329
0

Uma nova investigação comparou as avaliações de professores e pais de crianças que entraram no jardim de infância em 1998 (seis anos antes do lançamento do Facebook) com as avaliações de crianças que entraram em 2010 (ano em que foi lançado o primeiro iPad).

Os resultados mostraram que estes dois grupos foram classificados de maneira muito semelhante nas habilidades interpessoais, como a capacidade de formar e manter amizades ou conviver com pessoas diferentes. Além disso, as crianças foram também classificadas de igual forma no que diz respeito ao autocontrolo, a capacidade de regular o seu próprio temperamento.

“Em praticamente todas as comparações que fizemos, as habilidades sociais permaneceram as mesmas ou aumentaram modestamente para as crianças nascidas mais tarde”, referiu Douglas Downey, professor de Sociologia na Universidade Estadual de Ohio e principal autor do artigo, publicado recentemente no American Journal of Sociology.

A ideia para este estudo surgiu há vários anos, quando Downey discutiu com o seu filho Nick, numa pizzaria, a possibilidade de as habilidades sociais terem declinado na nova geração de jovens. “Comecei a explicar-lhe que a sua geração era terrível em termos de habilidades sociais, muito provavelmente devido ao tempo que passam em dispositivos eletrónicos.”

“O Nick perguntou como é que eu sabia isso. Realmente, não havia nenhuma evidência sólida e, por isso, decidi investigar.” Downey e a sua equipa compararam dados de crianças que iniciaram o jardim de infância em 1998 (19.150 alunos) com crianças que ingressaram este nível de ensino em 2010 (13.400 alunos).

Desde que entraram no jardim de infância até completarem o quinto ano, as crianças foram avaliadas seis vezes pelos professores. Pelos pais, foram avaliadas no início e no final do jardim de infância, assim como no final do primeiro ano.

Os resultados mostraram que, da perspectiva dos professores, as habilidades sociais das crianças não diminuíram entre os grupos de 1998 e 2010. Aliás, as avaliações das habilidades interpessoais e de autocontrolo tendem a ser um pouco mais altas nas crianças que entraram para o jardim de infância em 2010.

As crianças de ambos os grupos que tiveram uma maior exposição às telas dos dispositivos eletrónicos apresentaram um desenvolvimento semelhante nas habilidades sociais em comparação com as que passaram menos tempo em frente a um tablet ou com um smartphone nas mãos.

Segundo o EurekAlerta única exceção verificou-se nas crianças que passavam muito tempo em sites de jogos e redes sociais durante o dia. Apesar de as habilidades sociais deste grupo serem um pouco mais fracas, “este efeito era muito pequeno”.

O facto de as novas gerações estarem a aprender a ter um bom relacionamento social significa que são capazes de se comunicar com sucesso tanto pessoalmente quanto online.

Fonte: ZAP //

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.